.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

19/08/2016

| The bohemian striped dress |

Lembram-se deste post?
Olhem só o que é que encontrei, a preços de gente e com cores ainda mais summer.
É tão bonito e leve e feminino e boémio que não o vou largar.








Vestido daqui, sandálias Parfois, shoulder bag Zara

Fotos: EyeEm.com/susana71

P.S.: Entro hoje de férias, pelo que o blog vai andar para o paradito, que estou mesmo a precisar de me dedicar ao dolce far niente (quer dizer, mais ou menos, porque me parece que estas férias vão ser tudo menos descansadas, e ainda bem).
De qualquer forma, podem ir acompanhando tudo no Instagram, onde vou estar mais ativa, em @fashionoirblog.
Até já! ;)

16/08/2016

| Golden shoes |

Ultimamente a minha mente anda especialmente direcionada para sapatos. Não é que isso seja uma grande novidade mas, por regra, há outros acessórios – como malas – em que meto o olho e acho que deviam ser meus.
Mas não, num período mais recente só me tenho deixado encantar por sapatos, nas suas variadas versões, e estes são os meus últimos queridinhos (em teoria, não de verdade).
Os metalizados continuam em altas e estes botins dourados da Uterqüe são lindos e aparentam ser muito confortáveis, logo perfeitos para um outono que se quer ameno.
Custam € 125.     



13/08/2016

| Tattoo addicted |

Fiz a minha primeira tatuagem devia ter para aí uns 18 ou 19 anos. 
Na altura - nos loucos anos 90 - estavam na moda as tatuagens tribais e foi o que fiz. Felizmente escolhi uma pequenina e discreta; podia ter-me dado para começar em grande e ter feito algo de que me viesse a arrepender mas não foi o caso: continuo a gostar dela como no primeiro dia.
Uns anos mais tarde fiz um perfil de mulher nas costas, ainda vivia na Terceira. O problema é que a ideia era boa mas a execução nem por isso. Ficou uma merda, é o que é. 
Por isso, tinha vontade de tapá-la já há uns tempos e decidi que deste ano não passava.
Não foi nada fácil descobrir algo que com que me identificasse e que desse para cobrir a anterior. Mas depois lá me decidi pela minha Amy, cujo cabelo foi perfeito para camuflar a antiga. E gosto tanto dela!
Na mesma altura aproveitei para escrever dreamer no pulso porque, bem lá no fundo, é o que sou.
Agora vou deixar-me ficar quieta durante um ou dois anos e depois volto à carga. Sim, porque isto das tatuagens é um bichinho e imagino-me a tatuar mais uma ou duas (ou três ou quatro).
Logo se vê. 











11/08/2016

| Crónicas da vida airada (ou não) #11 |

Há dias encontrei no Tinder o Filipe, de 34 anos, e dei-me ao trabalho de transcrever o seu texto de apresentação, não obstante o tamanho.
Sim, porque felizmente existem pessoas, como eu, que consideram que pérolas assim não podem ficar esquecidas nos escombros de uma qualquer app e têm de ser partilhadas com o mundo.
Então, sem grandes demoras (aqui é favor fazer uma pausa para um ligeiro rufar de tambores) aqui vai:  

Liberdade pra dentro da cabeça!
Não sou perfeito… Ninguém é!
Não sou ciumento… Apenas protejo aquilo que é meu!
Não sou graxista… Dou carinho!
Não sou esquesito… Simplesmente há coisas que não gosto!
Não falo mal dos outros… Dou a minha opinião!
Não sou triste… Mas há momentos em que estou em baixo!
Não vivo na ilusão… Sonho!
Não sou chato… Luto pelo que quero!
Não tenho medo… Tenho cuidado com certas coisas!
Sei quem sou… Mas as vezes tou perdido!
Não sou fraco… Há coisas que me tocam!
Não sou o mais inteligente… Sou o suficiente!
Não sou pessimista… Vejo a vida como ela é!
Tenho defeitos… Todos têm!
Faço asneira… Aprendo!
Sofro… Cresço!
Erro… Mudo

Dizem que tenho Mau Feitio… Eu chamo-lhe VIRTUDE! =)


Ufa! É difícil que o pensamento flua com clareza após este momento de beleza, profundidade e magia proporcionado por este Gustavo Santos do Tinder, mas não posso deixar de lhe dirigir umas palavras.
Meu querido Gustavo Santos Filipe:

Não penses que estas breves e sinceras palavras são uma crítica… São antes uma oportunidade de melhoria!
Não é que este texto seja muito mau… É apenas deveras desinteressante!
Era bom que deixasses de ler livros de autoajuda… Um Saramago, um Pessoa e um Lobo Antunes ajudavam-te imenso!
Ou então que deixasses de pesquisar frases feitas no Google… Chama-se aprender a pensar!
Só deste dois ou três erros ortográficos… Podia ser pior!
Nem tudo neste texto é mau… Gosto que tenhas assumido que não és lá muito inteligente!
Mas o facto de o reconheceres… É um princípio para fazeres mais e melhor!
Tens defeitos… Todos têm!
Fazes asneira… Aprendes!
Sofres… Cresces!
Erras… Mudas

Dizem que tens Mau Feitio… Tu chamas-lhe VIRTUDE!

Eu chamo-lhe FALTA DE NOÇÃO! =)

07/08/2016

| Uma proposta de look |

Construí este look a pensar nas meninas que estão ou vão passar férias na cidade (como é o meu caso): muito prático, leve e confortável, que é tudo o que se quer nestas situações em que, por norma, se anda muito e se fazem mil e uma coisas.
No final do mês parto rumo a Madrid para uns dias de (pouco) descanso, (muita) descoberta e (bastante) diversão.
Até ao momento, certo é que vou ao famoso Museu do Prado e assistir a um espetáculo de flamenco. 
Dicas desse lado sobre atividades ou sítios a visitar?


Todas as peças são da H&M. Para mais informações sobre as mesmas basta clicarem nos links:

04/08/2016

| The romantic black dress |

Já tinha visto este tipo de vestido várias vezes na net, especialmente em fotos de street style, mas nunca numa loja próxima de mim.
Quando isso sucedeu rezei para que me assentasse bem, porque adoro o modelo, especialmente pela leveza, detalhes (gosto, sobretudo, da gola) e da sua aura romântica.
O resto é fácil de adivinhar: gostei-de-me-ver-com-ele-trouxe-o-para-casa-e-temos-sido-muito-felizes.










Vestido Blanco, sandálias Bershka, clutch Tally Weijl

02/08/2016

| Produtos de maquilhagem do momento |


Estes são alguns dos produtos que estou a usar e dos quais gosto muito, pelo que me pareceu pertinente partilhar:

1. A False Lash Superstar, da L'Oréal, promete pestanas mais volumosas, longas e curvas graças às suas duas escovas. 
A máscara que se deve colocar em primeiro lugar é branca (nunca tinha visto num produto do género) e, a seguir, coloca-se a tradicional máscara preta.
Quanto ao resultado, as pestanas ficam volumosas e bem marcadas, pelo que aconselho.
Não sei ao certo o preço de venda, porque esta foi uma oferta da minha querida Gui, mas li algures que o P.V.P. recomendado é de €16,99.

2. Este é o THE ONE Illuskin Blush, da Oriflame, que deixa as maçãs do rosto levemente rosadas (este é o tom que mais se adequa à minha pele, mas a marca tem mais opções). 
O que mais gosto neste blush é o facto de ele não ter uma cor única, o que permite que o resultado seja mais suave ou mais carregado, consoante a ocasião ou aquilo que me apeteça. 
Custa €14, mas a Oriflame constantemente faz promoções, pelo que aproveitei para o comprar a um preço mais baixo.

3. The Blushed Nudes, da Maybelline, são as sombras que estou a usar e estou muito contente com os seus tons.
A verdade é que estas são as cores que uso nos olhos e o que acontece normalmente é que acabo por usar só três ou quatro tons de uma paleta de sombras pelo facto de ela ter demasiadas cores, como rosas-choque, ou azuis, ou verdes vivos, que não uso.
Neste caso vejo-me a usá-las todinhas, e isso não é nada normal.  
Custam €12,99 nos supermercados.

4. O Halo Illuminiser é o iluminador da H&M (o meu tom é o Delicate Pearl) e desde que o descobri não quero outro.
Na minha opinião cumpre a sua função na perfeição, sem que o resultado fique exagerado, pelo que tem uma relação qualidade-preço fantástica. 
Gosto mesmo muito deste produto.
Custa €9,99.

5. Os batons THE ONE, da Oriflame, são os meus queridinhos deste verão: são duráveis, cremosos e têm cores apetitosas.
Os mais atentos já sabem que sou grande fã da marca e, neste caso, mantenho a minha (boa) opinião.
Cada batom custa €12 mas comprei os últimos dois por €10 (lá está, é preciso aproveitar as promoções).

31/07/2016

| Crónicas da vida airada (ou não) #10 |

Nós, mulheres, gostamos de afirmar que não precisamos dos homens para nada, que conseguimos fazer tudo sozinhas (vá, que vos páre já esse pensamento que aqui o tema não é sexo).
Estou a falar daquelas tarefas caseiras tradicionalmente associadas aos homens como, por exemplo, os trabalhos de bricolagem ou o desentupimento de ralos.
Vivendo sozinha, não tenho outro remédio senão fazer coisas de que não gosto: ainda há dias tive que desentupir um cano e, embora isso só tenha implicado despejar meia garrafa de um líquido qualquer comprado no supermercado, seguido de água a ferver, pensei (uma vez mais) que não nasci para isto.
Claro que, se vivesse com alguém - do sexo masculino, entenda-se - fazia-lhe os meus melhores olhinhos, acompanhados de uma voz sussurrante e de um beicinho sorridente e a coisa ficava resolvida (sim, leitores do sexo masculino, nós usamos essa tática sempre que queremos que vocês façam alguma coisa e, na grande maioria dos casos, resulta).
Mas não, não vivo com ninguém (para além da gata Maria que, está fácil de ver, não me liga nenhuma) e, por isso, não há olhinhos nem sussuros nem beicinhos sorridentes que me valham.
Cada vez lido melhor com estas tarefas, já conseguindo limpar os vidros da parte de fora sem parecer um equilibrista com diarreia ou colocar quadros na parede sem ser na diagonal.
Mas há ainda uma pequenina coisa que, sendo verdadeiramente básica, me irrita de uma forma anormal. E esse 'pequeno' problema chama-se levar o lixo à rua.
As mulheres não gostam de levar o lixo à rua. Ponto. 
É uma tarefa ingrata que devia ser sempre um homem a realizar. E não me perguntem porquê, que não sei explicar; o que sei é que sempre que o balde do lixo começa a ficar cheio, há uma espécie de urticária que desce em nós se não existir alguém que o possa levar. 
E, como a vida não é fácil, uma mulher tem que aprender a viver com estas sucessivas urticárias que não nos fazem bem nenhum.
Um dia, se voltar a viver com alguém, obrigo-o a celebrar um contrato-promessa por escrito e sujeito a registo público, com uma cláusula única, qualquer coisa do género:
Eu, X, te recebo como companheira e te prometo transportar o lixo, ser-te fiel, amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, por todos os dias da nossa relação, até que o quer que seja nos separe.
Tenho dito.

29/07/2016

| Objeto de desejo |

Este é o meu modelo preferido que resultou da colaboração entre a marca Ipanema e o francês Philippe Starck (de quem, aliás, sou grande fã: fosse eu rica e a minha casa estaria cheia de peças do designer).
A isto chamo minimalismo em estado perfeito.

27/07/2016

| Um livro obrigatório |


Este romance ganhou o prémio Leya 2014 por unanimidade e acho que foi uma escolha justíssima.
Nele, Afonso Reis Cabral discorre sobre a relação entre dois irmãos, um deles com síndrome de Down, nunca caindo no sentimentalismo gratuito que é fácil associar a este tipo de situações. É, antes, de uma realidade absolutamente crua, até cruel por vezes, mas sempre maravilhoso. 
Mais do que nos mostrar o que sente um familiar próximo de uma pessoa com uma deficência, o autor acaba por retratar a sociedade de uma forma inteligente e frontal.
O que mais me surpreendeu foi a maturidade da escrita de Afonso já que, tendo sido este livro publicado em 2014, ele teria, no máximo, 22 ou 23 anos quando o escreveu. E não é nada normal nem comum um jovem com esta idade ter a capacidade de escrever um romance tão denso e intenso, com tanta vida dentro. De se lhe tirar o chapéu.
Uma curiosidade: o autor é trineto de Eça de Queiroz mas, na minha opinião, o talento é todo dele.

25/07/2016

| The summer trench coat |

Principalmente no último ano começaram a aparecer nas lojas os trench coats de verão, que até aí estavam reservados para a primavera e para o outono.
De tecidos finos e leves, é uma das minhas 'novidades' preferidas para esta estação: são ótimos para dias mais frescos e perfeitos para a noite, e têm aquele toque boémio que adoro.
Assim que vi o que estou a usar, olhei para ele, ele olhou para mim, e sussurrei-lhe ao ouvido babe, tens de ser meu.
E assim foi! :)










Calças Zara, t-shirt H&M, trench coat e shoulder bag Blanco, 
sabrinas e turbante Parfois 

23/07/2016

| Uma parede de fotos |

As fotos já foram imprimidas há uns meses, mas estavam na gaveta a aguardar pelas molduras e pela vontade. Já sabem como é, ah, faço para a semana, ah, agora não dá jeito e, vai-se a ver, passa um ano e elas continuam no mesmíssimo sítio.
Esta parede ao lado da minha cama estava a pedir para ser ocupada e, finalmente, esse processo começou.
Ainda são poucas (tenho mais algumas à espera de molduras para irem para o sítio que idealizei para elas) mas já é qualquer coisa. E tenho a dizer que gosto muito do resultado.
Espero que gostem também! ;)





19/07/2016

| Jennie-Ellen clear shoes |

Lembram-se deste post? Pois é, dei com estes meninos, que as fashionistas adoram, e fiquei com muita vontade de ter uns só para mim.
Já sei que há uma muita gente que não vai gostar, reconheço que não são consensuais, mas eu adoro-os. E não sendo propriamente baratos, também não são tão caros assim: no site da marca custam € 143,27.
Quem (o)usava?  

17/07/2016

|Crónicas da vida airada (ou não) #9 |

(Continuação)
Na crónica anterior (podem lê-la aqui) iniciei a análise do perfil do homem médio tinderiano (hmt) com base no que ele escreve no seu perfil, tendo-vos apresentado o clichê ambulante, o inseguro e o poliglota.
Hoje termino esta dissecação com a apresentação dos restantes três tipos. 'Bora lá?

O turista
É aquele hmt que se desloca ao nosso país de férias e publica algo do género Em Lisboa de 20 a 25 de julho, terei todo o gosto em conhecer a cidade contigo ou Estou por Coimbra durante o próximo fim de semana, não me queres mostrar os locais escondidos?
A mim parece-me que é de fugir a 7 pés deste tipo de hmt porque ele não está verdadeiramente interessado em conhecer alguém. É, isso sim, um forreta que se quer aproveitar de quem aceite o seu convite envenenado.
Ainda por cima, meninas, se compactuarem com este tipo de atitude, estão a contribuir para a estagnação da nossa economia bem como para o aumento do desemprego, nomeadamente em classes como a dos taxistas ou a dos guias.
E isso não é o que vocês querem, pois não?

O sincero
É um tipo raro que deve ser aproveitado (por quem esteja na mesma onda), já que sinceridade é uma característica que não abunda pelo Tinder. Muito menos assim de caras, à laia de apresentação.
Inserem-se aqui aqueles que dizem não querer compromissos, os que dizem explicitamente que só estão ali à procura de sexo ou à procura de uma interessada num ménage à trois, os que afirmam estar desempregados, em vez de dizerem que frequentam a Universidade da Vida, e ainda os que escrevem com o caps lock ligado CASADO, em jeito de depois não digas que não avisei.
Há dias encontrei o José Luís (que, além de sincero é também poliglota), de 34 anos, com a seguinte apresentação: 3 kids, married, yes married, yes she knows... And she likes it
Huummm... 
Pronto, está bem.

O incompreendido
É o hmt difícil de descortinar porque a sua apresentação é algo confusa. 
Não obstante tenha um carinho especial por este tipo, aconselho as meninas a manterem uma distância de segurança, porque não sei se algum dia os vão compreender. Aliás, duvido que eles próprios o consigam fazer.
Para quem não saiba muito bem se um candidato se insere ou não nesta categoria, deixo aqui uma série de casos práticos  (e, claro, reais) exemplificativos:
Pricuro uma relacao (Arlindo, 42 anos)
Vamos aonde fornos, quando cruzamos essa a linha... vamos juntos eu e tu. (Paulo, 44 anos)
Ando sempre descalço mas não cheiro mal dos pés (esqueci-me de anotar o nome e idade do autor, shame on me)
Actually i am totally different - but i never have time to (Martin, 45 anos)
Boas só aventuras de bom resisto ;) (Hugo, 34 anos)
Não pretendo encontrar a mulher da minha vida... mas sim a loucura (Mário, 44 anos)
Eu sem mim não existo! (Lourenço, 43 anos)
Esclarecidas?

15/07/2016

| It's summer :) |

Se há coisa que me irrita no inverno é o tempo que demoro a vestir-me, fruto das várias camadas de roupa que tenho de colocar no corpinho. E isso obriga-me a acordar 10 minutos mais cedo do que no resto do ano, o que me irrita profundamente porque sou daquele tipo de pessoas a quem custa muito levantar o rabo da cama. E, acreditem, aqueles 10 minutos fazem toda a diferença.
No verão é uma maravilha: um vestidinho, umas sandálias, os acessórios básicos e está feito. 
Na maior parte dos dias o resultado é algo mais ou menos assim:








Vestido e sandálias H&M, shoulder bag Blanco