.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

11/12/2017

| Porque continuamos a fazer isto a nós próprias? |

Imagem: gettyimages


Muito se tem falado sobre a desigualdade entre o sexo feminino e o masculino e o tanto que nos falta percorrer para chegarmos a um princípio de equilíbrio.
Sabemos que a sociedade é preconceituosa e machista e não vejo sinais de, a curto/médio prazo, poder ocorrer qualquer alteração a nosso favor.
Embora ao longo dos tempos já me viesse a aperceber do que vou afirmar, ultimamente aconteceram algumas situações relativamente próximas de mim que fizeram com que as dúvidas que tinha se dissipassem. Para ser honesta, acho que foi mais um ter de reconhecer os factos mas, por me custar aceitá-los, posso ter andado, de forma algo inconsciente, a adocicar a coisa.

07/12/2017

| Dos dias felizes |


O que é que se deve fazer em fins de semana prolongados, sempre que possível? Passear, pois claro.
No último fim de semana foi possível e rumámos até Monte Gordo para uns dias de sol e mar (gosto tanto), a um ritmo descontraído e despreocupado, só possível na vila pelo facto de não ser verão. E como soube bem passear pela praia quase deserta, sem ter de estar constantemente a calcular distâncias para não pisar ninguém.

06/12/2017

| Um livro com música dentro |



Não é pelo facto da escrita de Afonso Cruz me soar a melodias bonitas que designei assim este post. É antes porque este livro é sobre Erik Gould, um pianista exímio que, mais do que respirar música por todos os poros, é capaz de visualisar sons e pintar retratos nas teclas do piano. É por causa desse dom que Erik é considerado pela CIA a pessoa perfeita para encabeçar uma missão - designada de Jazz Ambassadors - que visa levar ao bloco de Leste comunista a influência libertadora ocidental através da música, fazendo derrubar barreiras e preconceitos anti-América (atenção que esta operação existiu de verdade e prolongou-se para lá da Guerra Fria).