.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

31/03/2016

| Do fundo do baú |

Excetuando os acessórios, que não tenho há tanto tempo assim, as peças base deste look - a camisola e as calças - já têm muito tempo, p'raí uns 7 ou 8 anos (acho, aliás, que as comprei na mesma estação). E todos os anos volto a elas em determinado momento. 
São básicos, muito simples, mas dos quais não prescindo. Ainda por cima adoro vê-los conjugados, já que me agrada muito a mistura castanho/camel e preto. 







Calças, camisola e botins Zara, 
chapéu Shop1one, shopper Parfois

29/03/2016

| Eyebrow Marker da Oriflame |

Vocês devem começar a achar que sou revendedora da Oriflame, tal o número de vezes que aconselho os produtos da marca. Mas não, uma colega de trabalho é que é e farta-se de lucrar comigo. Mas a verdade, já o disse por aqui várias vezes, é que gosto dos produtos da marca, e defendo que o que é bom deve ser comentado.
A minha última aquisição foi o Eyebrow Marker, ou seja, uma caneta destinada a preencher as sobrancelhas, resultando melhor em quem tenha sobrancelhas ralas, como as minhas (sem grandes certezas, acho que custa cerca de 13,90 €). 
O tom é castanho escuro e faz-me lembrar um marcador, sendo que a 'tinta' desaparece com produtos normais para limpeza de pele.
Como estou bastante satisfeita - as sobrancelhas ficam mais preenchidas e um pouco mais volumosas - resolvi partilhar. 
Podem ver as diferenças aí em baixo:


24/03/2016

| E Lisboa aqui tão perto |

Embora o meu pai me deteste ouvir dizer isto (porque, além de ser um amoroso nortenho de gema, é um portista ferrenho que não consegue distanciar-se das lides futebolísticas), Lisboa é uma cidade que adoro. Pela luz, pela multiculturalidade, pela azáfama constante, pela oferta cultural generosa e por muitas coisas mais.
Já várias vezes lá fui, pelo que já conheço muito bem os centros turísticos. Assim, a minha última visita à cidade foi dedicada a ir explorar a Lisboa dos bairros e das gentes, a Lisboa genuína que, no fundo, acaba por ser o que me dá mais prazer nas viagens. Assim, desta vez fugi do centro e perdi-me pelas ruas estreitas e sinuosas da Mouraria, um dos mais carismáticos bairros da cidade, berço do fado.
Aqui ficam algumas fotos para mais tarde recordar. :)








22/03/2016

| O melhor das coleções primavera.verão 2016 (1) |

Em dois posts vou partilhar convosco as coleções ready-to-wear primavera.verão 2016 de que mais gostei.
A primeira é da queridíssima Stella McCartney, que decidiu ir buscar padrões com riscas (continuam em alta) e tartan, misturando-os, que é algo que, bem feito, pode resultar na perfeição. Além disso é uma coleção urbana e prática, bem ao jeito street style.
Já a coleção de Fendi é luxuosa e feminina, cheia de pormenores que devem ter dado muito trabalho 'a construir'. Reparem no vestido branco aí em baixo para perceberem do que falo.
E aquelas sandálias? E aquela mala de mão? E o vestido fluído e vaporoso? #muito amor


Imagens: style.com

20/03/2016

| 5 anos de fashiONoir |


Pois é, faz hoje 5 anos que criei este blog. Começou por ser um local onde partilhava tendências, editoriais, etc., muito focado na Moda mas, com o passar do tempo, foi ganhando um cunho mais pessoal.
Nem sempre é fácil manter um blog, principalmente quando quem escreve tenta permanentemente partilhar conteúdos interessantes, diversificados e cuidados. É preciso trabalho, tempo e criatividade para criar posts, e nem sempre é fácil conciliar esta atividade com as rotinas do dia-a-dia.
Claro que em 5 anos já questionei acabar com o blog, em fases de menos esperança ou força, mas é isto que me alimenta todos os dias, é algo que me dá muito mais prazer do que dores. É amor, o que posso mais dizer?
Espero que desse lado sintam toda esta dedicação e continuem a passar por cá. É que, sem vocês, isto não tem piada nenhuma!
Preparados para me continuarem a aturar? :)

18/03/2016

| As culottes |

As culottes, apesar de serem tendência, não são nada consensuais. Parece-me serem uma daquelas peças que se adora ou se detesta, certo?
Não achando piada a todos os modelos, gosto de culottes: acho-as originais, femininas, descomplicadas e divertidas, características que me agradam numa peça de roupa.
As que estou a usar - de pele - são as minhas primeiras culottes e foram as únicas com as quais me gostei de ver, apesar de ter experimentado várias.
E vocês, já se renderam ou nem por isso?







Culottes Stradivarius, camisa e shoulder bag Tally Weijl, 
sapatos Bershka

17/03/2016

| Dos livros icónicos |


Acho que ouço falar deste livro desde os meus 16  anos, mas só agora calhou lê-lo. Este romance autobiográfico não tem uma história tradicional, é antes a viagem interminável de 2 amigos pela América do pós-guerra, que começou quando Sal Paradise (alter-ego de Jack Kerouac) parte com 50 dólares no bolso para ir visitar Dean, que vivia em Denver.
Percebo a importância e a febre que se gerou à volta deste romance pelo facto do mesmo se ter transformado num hino da Geração Beat, escrito em tom rebelde e contestatário. E em 1957, data da sua publicação, imagino que não seria muito normal a escrita ao estilo Kerouac, direta, simples e sem floreados, em jeito pop art.
No entanto, não posso afirmar ser um daqueles livros que me deslumbraram; demorei quase 3 meses a lê-lo (o que, em mim, não é nada normal, já que consumo livros a uma velocidade bastante acima da média) e, por vezes, achei-o um bocadinho chato.
Impressionante é que Kerouac escreveu este livro em 3 semanas, e olhem que ele não é nada pequeno.
Ah, esperem, foi à base de café e anfetaminas, que mantiveram o autor acordado durante dias (pois, assim já se percebe melhor).


15/03/2016

| A Outra Face da Lua |

Na minha última viagem a Lisboa fui conhecer uma loja que um amigo me aconselhou porque, nas palavras do próprio, é a minha cara. E não é que é mesmo?
A Outra Face da Lua é uma loja de roupa vintage, complementada com um tea room and bistro, onde me deixei encantar, especialmente pelos vestidos, tão bonitos, românticos e com uma aura muito especial.
Cada vez gosto mais deste universo de peças antigas, com classe e história, e por isso foi difícil conter-me, apetecia-me trazer tudo.
Se gostam deste tipo de inspiração dão um saltinho à loja - tem muita oferta - e tentem não perder a cabeça! :)

Fica na Rua da Assunção, 22, na Baixa. 










11/03/2016

| Cuidados de limpeza da pele |


Não digo nada de novo quando afirmo que limpar bem a pele do rosto é essencial: por um lado porque durante o dia ela vai acumulando sujidade (proveniente do pó ou da poluição); por outro, porque se a pele não estiver perfeitamente limpa, de nada vale colocar séruns, cremes, máscaras, etc. e tal, já que estes não vão ser devidamente absorvidos.
Já o tónico tem por função reequilibrar o ph da pele e evitar que os poros fiquem obstruídos, ajudando ainda na micro-circulação à superfície da pele, suavizando e acalmando após a limpeza.
Enquanto youzzer recebi a água micelar da Garnier para testar - além de poder ser utilizada em todos os tipos de pele é também desmaquilhante - e estou bastante satisfeita: sinto a pele limpa, fresca e suave após utilizá-la.  
Este produto é também tonificante mas, como já sabem, sendo eu uma maluquinha dos cremes, gosto de usar um tónico específico e, atualmente, uso o Revitalift da L'Oréal que, supostamente, vai devolvendo firmeza.
Tão ou mais importante do que os produtos que utilizamos, no entanto, é a forma como os utilizamos. Acreditam que descobri há meia dúzia de dias que estava a desmaquilhar e a limpar a pele de forma errada?
Então é assim: a maquilhagem dos olhos deve ser sempre retirada com movimentos verticais descendentes, evitando-se gestos horizontais e circulares (??!!); na parte de baixo dos olhos deve ser retirada do interior para o exterior. Quanto ao rosto, e para uma limpeza perfeita, os discos de algodão devem ser movimentados a partir do pescoço em direção ao rosto e do nariz em direção às orelhas, insistindo na zona T (testa, nariz, boca e queixo).
Não sei como é com vocês, mas sempre retirei a maquilhagem dos olhos com movimentos horizontais, do interior para o exterior. Mal, pelos vistos!
Um último truque para uma limpeza de rosto perfeita: antes de limpar a pele com água micelar desmaquilho-a com toalhetes. Assim não há que enganar.

09/03/2016

| Das descobertas felizes: Le Skeleton Band |

De vez em quando gosto de dar uma vista de olhos à agenda mensal da Fnac de Leiria para ver se há algo que me interesse: uma exposição, um concerto ou um filme, por exemplo. A maior parte das vezes não há nada que me chame especialmente a atenção, desta vez vi que ia haver um concerto de Le Skeleton Band, da qual nunca tinha ouvido falar.
Fui ao youtube descobrir mais e num instantinho fiquei apaixonada pelo som destes 4 músicos franceses, uma mistura de Tom Waits e Dead Combo e Gogol Bordello e sei lá mais o quê!
No sábado à tarde lá fomos à Fnac, eu cheia de expetativas, convencida de que ia assistir a um bom concerto, mas o que vi e ouvi foi tão melhor do que poderia imaginar! A música é belíssima (do melhor que tenho ouvido nos últimos tempos), cheia de pormenores deliciosos, e o Alex, o vocalista, além de ter um vozeirão daqueles, é um verdadeiro entertainer, muito teatral.
Se viverem para o Norte do país estejam atentos, vão à net procurar informações, porque eles vão andar por aí. E é uma pena se os deixarem escapar.
Cá em casa, ando a ouvi-los em modo contínuo por tempo indeterminado.







07/03/2016

| The jacket |

Há uns meses atrás andei à procura de um casaco de pele, que me fazia falta, porque o que tinha acabou por estragar-se ao fim de uns anos.
Não sendo fã de casacos de pele em estilo motard, procurei um de linhas mais simples, mas os que vi eram demasiado caros (porque são de couro) ou, sendo baratos, a qualidade da pele não me convencia. Sabem aqueles casacos em que se nota que a pele é fraquinha, fraquinha, que quase parecem de plástico? Foi mais ou menos isso que encontrei e, por isso, acabei por desistir da ideia.
Há umas semanas, no entanto, acabei por dar de caras com 'O casaco': clean, sem ornamentos desnecessários e com pele de boa qualidade, é exatamente aquilo que procurava. Um mimo, é o que é! :)








Casaco/jacket: daqui/here, t-shirt H&M, saia/skirt Club L, sapatilhas/sneakers Stradivarius, clutch Parfois