.backtotop { position: fixed; bottom: 20px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ } .backtotop:hover { background-color: #333333; /* color of background on hover over */ color: #ffffff; /* color of text on hover over */ text-decoration: none; /* no underline */ bottom: 10px; /* increase value to move position up */ right: 0px; /* increase value to move position left */ padding: 10px; /* add space around the text */ } -->

28/02/2014

| Jessica Lange para Marc Jacobs Beauty |





Numa sociedade que anseia pela juventude eterna, onde o Photoshop é o principal aliado dos editores de imagem e em que vale quase tudo para apagar as rugas, Marc Jacobs teve a ousadia de escolher, para a mais recente campanha da sua linha de beleza, a atriz, de 64 anos. 
E que bonita que ela está...
Clap, clap, clap!
  

27/02/2014

| Vernizes primavera.verão 2014 |


Embora não seja uma seguidora de tendências só porque sim, gosto de saber ‘o que é que está a dar’. Por isso, e como verniz-dependente que sou, andei a pesquisar quais as tendências para a próxima primavera.verão.
Tal como já vem acontecendo de há umas temporadas para cá, os tons nude e candy mantêm-se em alta. O mesmo sucede com os vernizes brilhantes ou metalizados, que vão continuar a usar-se nas próximas estações.
A grande novidade são os vernizes em tons mais escuros, usados normalmente no outono e inverno: cores como o verde, castanho, roxo e os vários tons do eterno vermelho são opções mais do que seguras! 



25/02/2014

| Singing in the rain |


Bem sei que já andamos cansados da chuva, o que significa que estamos muito mal habituados: basta ver as notícias para perceber que vivemos num paraíso climatérico, quando comparados com outros países, mesmo os relativamente próximos.
Num destes dias, adequei o ditado popular ‘Se não podes vencê-los, junta-te a eles’ e foi ver-me a fazer macaquices à chuva já que, se ela não nos larga, o melhor é aproveitar para nos divertirmos com isso.
Por falar no tema, anda um vídeo circular nas redes sociais, com uma miúda (querida, querida!) que delira com a chuva, e que me fez sentir saudades dos tempos em que me deixava deslumbrar pela beleza das pequeninas coisas triviais. Se não viram, cliquem aqui, porque vale mesmo a pena!





















Calças Tally Weijl, camisola Promod, casaco Mango, galochas Vans 


23/02/2014

| Um toque de dourado |


Andei a espreitar a coleção da Zara Home à procura de peças de decoração para a casa, ou para uso 'caseiro', em tons ou com apontamentos dourados.
Espero que gostem! 





Imagens: zarahome.com


21/02/2014

| Post perfumado* |


Quem passe distraidamente em frente à ‘Ydentik’ de Leiria pensará que se trata de um bar. No entanto, um olhar mais demorado e atento permite descobrir que não, não é um bar, mas sim uma perfumaria. Ou, melhor dizendo, um perfume bar concept.
Num destes dias fui conhecer a loja, tendo sido recebida pela simpática Silvana, uma das proprietárias, que me esteve a explicar o conceito, em tudo idêntico a um bar mas onde não são consumidas bebidas alcoólicas. A ‘Ydentik’ (que, não fazia ideia, é um franchising português) comercializa perfumes low cost: não são cópias, mas têm as mesmas componentes olfativas dos perfumes das grandes marcas; no fundo, uma espécie de genéricos dos perfumes.
Existem frascos de três tamanhos à disposição (o de 35 ml custa 8.95€, o de 55 ml custa 12.50€ e o de 105 ml custa 21.50€), enchidos a partir de garrafas de vodka pregadas à parede, e que são recarregáveis, o que significa que, depois da primeira compra, a recarga fica mais barata.
A ‘Ydentik’ disponibiliza ainda cocktails – a mistura de três perfumes -, ambientadores para a casa e, dentro de pouco tempo vai ter à venda perfumes para a casa e, pasme-se, para cães e gatos!
Quem quiser pode ainda passar pela loja para um shot: por 1 € pode perfumar-se dos pés à cabeça!
Adorei o conceito, o espaço é muito bonito e, nos dias de hoje, parece-me uma ótima alternativa aos perfumes tradicionais. Como me dizia a Silvana, pelo preço de um perfume “de marca” podemos comprar dois ou três.
Para os eventuais interessados, fica no n.º 45 da Avenida dos Combatentes da Grande Guerra.
































* Este não é um post patrocinado. Simplesmente sou daquele tipo de pessoas que acha que se deve falar bem do que é bonito e bem feito. Tenho dito.


19/02/2014

| 'her' |




Imagens: google


Realizado por Spike Jonze, é mais um dos filmes nomeados aos Oscares deste ano.
Há quem considere que este não é o melhor filme do realizador, e eu concordo, mas sou suspeita já que gostei tanto de ‘Being John Malkovich’ (de 1999) que acho difícil que o mesmo se consiga superar.
‘her’ (‘Uma história de amor’, em português) é, ainda assim, um belíssimo filme que retrata a crescente influência da tecnologia nas nossas vidas, de como a internet progressivamente vai substituindo as pessoas e da forma como o amor pode ser vivido de uma forma muito pouco tradicional.
Segundo os críticos, Joaquin Phoenix, na pele do solitário Theodore, representa o papel da sua vida, mas já tinham dito o mesmo do ator em relação ao ‘The Mentor’, de 2012, onde contracenava com o maravilhoso recém-falecido Philip Seymour Hoffman. :(
É por isso que Joaquin Phoenix é um dos meus atores favoritos: nunca desilude, tem uma aura e intensidade únicas e melhora filme após filme, quando pensamos que já não é possível que ele ainda possa evoluir.
Ficou de fora das nomeações a melhor ator e, dizem as más-línguas, tal ficou a dever-se às suas declarações de forte crítica à Academia e à cerimónia dos Oscares. Humm, se calhar têm razão, já que Joaquin está tão brilhante neste filme – tão delicado e leve e com ar de cãozinho abandonado que apetece adotar -, que não se percebe como é que não foi nomeado.
Além do mais, a fotografia, a banda sonora, a participação de Rooney Mara (outra das minhas atrizes fetiche) e a voz de Scarlett Johansson são outras das razões pelas quais ver este filme é obrigatório. Ou, ainda que estes argumentos não existissem, porque é um filme de Spike Jonze. E isso basta para querer saber o que é que ele andou a tramar desta vez.


15/02/2014

| Valentino pre fall 2014 |



Imagens: style.com


Bem sei que andamos (pelo menos a maioria) a sonhar com o verão, e que é difícil imaginar as estações para além dele. Estes vestidos da coleção pre fall do estilista justificam a referência: muito simples, sóbrios, ultra femininos, um pouco ladylike (embora não tenham a cintura marcada) e demasiado elegantes, são a minha cara.
Usava qualquer um sem pestanejar!   

13/02/2014

| Bolachas e mais bolachas |

No domingo passado (sim, em que choveu e fez tanto vento que se estava bem era em casa!), uma querida amiga desafiou-me a ir para casa dela para fazermos bolachas.
Eu, que não sou muito dada às tarefas culinárias, achei piada à ideia e lá fui. Enquanto a minha amiga tratou da massa, eu dediquei-me à decoração, o que, aliás, me deu muito gozo!
Acabou por ser uma tarde muito divertida e até fiquei com a receita, para ver se um dia destes me aventuro na arte da bolacha.
O melhor é que elas ficaram divinais e, assim que provei a primeira, fui transportada até há muito tempo atrás, a um momento algures perdido na infância.
Just perfect! :)   























11/02/2014

| Black & White Moments |





 Há momentos.


 Que se cristalizam.


No tempo e no espaço.


Obrigada R.


Por fazeres parte de todos eles.


Calças Origem (tão velhinhas que acho que a marca já nem existe!), camisola Mango,
gola Tally Weijl, botins La Redoute


09/02/2014

| Cuidados de rosto |





Estes são dois dos produtos que estou a usar habitualmente: gosto muito do esfoliante Rosa Masqueta, da Babaria, já que o mesmo esfolia, de facto! Ao contrário de outros produtos que já usei, os grânulos não se desfazem antes de cumprir o objetivo pretendido e, ainda assim, não é um produto agressivo. 
Além disso é um esfoliante muito em conta e a embalagem é de 150 ml, pelo que dá para imenso tempo!  Não é, no entanto, aconselhável para peles secas ou sensíveis.
Já a máscara efeito gelado, da Yves Rocher (que promete frescura, luminosidade, e é composta por mirtilhos vermelhos), tem o grande benefício de apenas se ter de usar - 1 a 2 vezes por semana - durante 3 minutos. Para um efeito máximo de frescura, deve colocar-se no frigorífico uns minutos antes de usar.

    

07/02/2014

| Dallas Buyers Club |






Quando fiz a crítica, ali em baixo, a “O Lobo de Wall Street”, afirmei que o Oscar de melhor ator devia ir para o DiCaprio. Depois de ver este filme, acho que a luta vai ser disputadíssima com Matthew McConaughey que, depois de andar uns anos a fazer filmes de treta, o que me levava a considerá-lo um grande desperdício, ganhou juízo e começou a fazer filmes de jeito. Melhor ainda, tem vindo a demonstrar ser um grande ator. Ora, com este atual mediatismo, se tiver dois dedos de testa (e parece-me que tem) vai continuar a fazer belíssimos filmes e transformar-se num monstro do grande ecrã. Palpita-me!
Quanto a “Dallas Buyers Club” (“O clube de Dallas”, em português), realizado por Jean-Marc Vallée, é mais um dos candidatos ao Oscar de melhor filme deste ano. Dos filmes candidatos que já vi, o meu coração continua a balançar entre este e “O Lobo de Wall Street” (com um pouquinho mais de balanço para este último, pela sua insanidade deliciosa). No entanto, “Dallas Buyers Club” é um dramalhão de todo o tamanho (em bom, atenção!) e normalmente a Academia pende mais para este tipo de histórias.
Matthew McConaughey faz o papel de Ron Woodroof, um cowboy contaminado com HIV. Como a ação (baseada em factos verídicos) decorre em 1985, em que o vírus é associado exclusivamente à comunidade gay, Ron é alvo de discriminação por parte dos “seus” e acaba por ser acolhido por essa mesma comunidade que tanto criticava.
Ron vai parar ao México, onde um médico norte-americano lhe apresenta um tratamento alternativo para a doença não aprovado pelo Governo dos Estados Unidos (mais um caso de lobbies a que já estamos tão habituados, n'est-ce pas?), tornando-se contrabandista, e criando depois um clube onde cada sócio tem direito a medicação “imprópria” (para os EUA), mas que resulta.
O resto não conto, têm mesmo de ver! No entanto, tenho de elogiar também aqui Jared Leto que, no papel do transsexual Rayon, é uma lufada de ar fresco e delicadeza e doçura.
A mim só me apetecia “trazê-la” para casa... 

   


02/02/2014

| Overnight oats |

É uma das refeições do momento para quem gosta de fazer uma alimentação minimamente saudável (como eu), ainda que com muitas facadinhas à mistura (como eu)!
As overnight oats são um preparado caseirinho para comer, de preferência, ao pequeno-almoço (porque não é uma refeição propriamente leve) e que consiste na mistura, em camadas, de iogurte, aveia, fruta, cerais, frutos secos, etc., etc. - a composição acaba por variar de acordo com o que se gosta e do que apetece comer.


Obrigatório é prepará-las de véspera, para adquirir sabor, e guardá-las em frascos fechados até ao dia seguinte, no frigorífico.
Na minha primeira experiência utilizei 3 colheres de sopa de aveia misturada com 6 colheres rasas de leite (esta é a base, pelo que não deve variar muito), meia banana, meio kiwi, um iogurte natural misturado com sementes de girassol, um pouco de compota de chila, sultanas, nozes e ameixa seca.


Dispus os ingredientes em camadas no frasco e guardei no frigorífico até ao dia seguinte.
Durante a noite operou-se ali uma magia qualquer porque ficou uma espécie de mousse de frutos verdadeiramente deliciosa. 
A repetir vezes sem conta!